Historial

O Clube de Ténis das Caldas da Rainha nasceu a 27 de Março de 1955, mas a história do ténis na cidade é bem mais antiga e remonta aos finais da monarquia. Em finais do século XIX já existia, um campo de ténis, no terreno onde está hoje o Museu José Malhoa mas, foi por volta de 1908 que a modalidade se enraizou, com a construção de mais dois campos no Parque D. Carlos I, onde ainda se encontram. Neste local existiu uma pista de ciclismo e um campo de futebol aonde o Caldas Sport Clube e o Sporting Clube das Caldas, iniciaram a sua actividade.

Na altura o ténis era uma modalidade praticada principalmente pelas classes sociais mais elevadas, quase um desporto de elite, e Ramiro Martins, actual Presidente da Direcção, relembra que, nessa altura o Hotel Lisbonense, mesmo ali ao lado, era a “grande sala de visitas da cidade e o local ideal para o nobreza passar as suas férias”.

No entanto só em 1943 é que nasceu a grande “paixão” pela modalidade nas Caldas da Rainha, com o aparecimento dos refugiados da segunda Guerra Mundial que se instalaram na cidade, nos cinco hotéis existentes. O considerável aumento da prática e a organização de torneios quase internacionais, porque mais de metade dos participantes eram estrangeiros, chamou a juventude para o ténis, criando assim a tradição do ténis na cidade.

A primeira Assembleia-Geral realizou-se a 14 de Maio de 1955, donde saíram os primeiros corpos sociais, com os fundadores , Calheiros Viegas, Henrique Mineiro, José Augusto Sousa e Silva, Augusto Saudade e Silva, Ernesto Moreira entre outros.

Com o Clube, começaram também a ser organizados os Torneios de Verão no Parque D. Carlos I. que durante o dia traziam aos courts os melhores praticantes nacionais e à noite, promoviam o convívio no Casino do Parque, posteriormente casa da Cultura após o 25 de Abril de 1974.

Em 1978 novo passo importante era dado pelo Clube de Ténis das Caldas, com a criação de uma Comissão Directiva encabeçada pelo Dr. Calheiros Viegas que, em 1981 assumiu a Presidência da Direcção até à data do seu falecimento. Desde então, o Presidente da Direcção tem sido Ramiro Martins. O passo dado em 1978 acabou por ser apenas o primeiro de uma caminhada que até hoje, tem levado a um crescimento contínuo do Clube. Neste ano, surgiu a parceria com o Centro Hospitalar das Caldas da Rainha, um dos apoios mais importantes da colectividade é a criação de Escola de Ténis. A partir desta data, o Clube passou de 20 para os actuais 500 sócios, dos quais 200 são federados, repartidos pelos escalões de iniciados a veteranos.

Em 1988 o Clube e o Centro Hospitalar inauguravam mais dois campos de ténis no Parque D. Carlos I e, quatro anos depois nascia no mesmo local, a actual Sede do Clube de Ténis das Caldas da Rainha.
Um crescimento que o Clube quis perpetuar, aumentando as suas instalações em 2008 através do protocolo efectuado com a Câmara Municipal na cedência do Complexo de Ténis com cinco campos, dois deles cobertos.
Uma infra-estrutura orçada num milhão de euros, dos quais cento e dez mil euros, suportada pelo Clube que, constituiu um passo importante na vida da colectividade, quer para os torneios que habitualmente organiza, quer na qualidade das suas escolas.

O Logótipo do Clube de Ténis das Caldas da Rainha é composto pelo brasão da cidade das Caldas da Rainha, com uma raquete e três bolas de ténis que simboliza a modalidade do clube, um pelicano do lado direito e um camaroeiro do lado esquerdo. Estes dois últimos elementos estão ligados rainha D. Leonor, pois esta, teve um carácter bastante simbólico na cidade.

O pelicano simboliza a grande efectividade que a rainha D. Leonor tinha com a população, em especial com os mais pobres, uma vez que o pelicano tem como característica, tirar as suas próprias
penas para fazer o ninho para os filhos. O camaroeiro representa o objecto com o qual foi recuperado o filho da rainha D. Leonor que tinha morrido afogado.

Actividade

O clube participa nos diversos escalões etários, em todos os campeonatos por equipas, organizados pela Associação de Ténis de Leiria.
Sempre que possivel, faz-se representar com os seus melhores jogadores nos campeonatos individuais organizados pela Associação de Ténis e nos nacionais realizados pela Federação Portuguesa de Ténis.

Efectua anualmente oito torneios oficiais que fazem parte do calendário da F.P.T., destinados a todos escalões etários desde sub/10 a veteranos.

Para o escalão sénior, realiza no dia da cidade, a 15 de Maio, o Torneio Câmara Municipal das Caldas dotado de troféus e prémios monetários.

Com caracter mais social e destinado aos seus associados organiza também um Torneio de Pares e outro de Singulares Masculinos e Femininos, o carismático “Ai Se T’Agarro”,que se efectua há mais de 30 anos entre Junho e Julho. Este, culmina sempre com o jantar anual do clube e entrega de prémios e, serve também para homenagear os seus campeões.


Escolas

Desde 1977/78 que o clube criou as suas escolas de ténis para todos os interessados na modalidade. Tem sido ao longo de todos estes anos a base da sua sobrevivência, cujo dinamismo e fomento tem dado origem ao aparecimento de centenas de bons praticantes. Actualmente com 200 alunos de todas as idades e hoje conhecida por Felner Tennis Academy, foi em 2008/09 concessionada ao Prof. Pedro Felner que, com a sua equipa técnica a orienta e dirige, tendo por base o protocolo efectuado com o Clube de Ténis das Caldas da Rainha.


Condecorações

Medalha de Mérito da ATLEI
Medalha de Mérito em prata da Câmara Municipal em 2005.
Diploma do Governo pelo reconhecimento e mérito do trabalho desenvolvido em prol da juventude.


Palmarés por equipas

Fruto do trabalho desenvolvido nas escolas de ténis e no aperfeiçoamento de jovens jogadores, desde há muito que conquista diversos campeonatos regionais, individuais e por equipas, organizados pela Associação de Ténis de Leiria. Participando também anualmente nos campeonatos nacionais, destacam-se pela sua importância os seguintes resultados:

1993 – Campeão Nacional de equipas sub/12.
1994 – Campeão Nacional de equipas sub/14.
1997 – Campeão Nacional de equipas Seniores da 3ª Divisão.
1999 – Vice-Campeão Nacional de equipas sub/16.
2000 – Vice-Campeão Nacional de equipas sub/16.
2001 – Vice-Campeão Nacional de equipas da 2ª Divisão /Fem. com subida à 1ª Divisão.
2002 – Campeão Regional de equipas Veteranos de + 45 anos.
2003 – Campeão Regional de equipas Seniores Femininos.
2004 – A Equipa de Seniores Masculinos subiu à 2ª Divisão.
2005 – Campeão Regional de equipas sub/14 Masculinos e Veteranos + 35 anos.
2006 – Campeão Regional de equipas sub/18 Masculinos e Veteranos +35 e +45 anos.
2007 – Campeão Regional de equipas sub/14 Masculinos.
Campeões Regionais de equipas em sub/18 Masculinos e Femininos.
Campeões Regionais de equipas em Veteranos +35 e +50 anos.
2008 – Campeão Regional e Nacional de equipas sub/14 Masculinos.
Campeão Regional de equipas sub/18 Femininos.
Campeão Regional de equipas em Veteranos +50 anos;
2009 – Campeão Regional de equipas sub/14 Masculinos e Sub/18 Femininos e + 50 Masculinos.
Campeão Nacional de equipas sub/14 Masculinos.
Vice-Campeão Nacional de equipas sub/18 Femininos.
2010 – Campeão Regional de equipas sub/16 Masculinos, sub/18 Femininos e +55 Masculinos.
Campeão Nacional de equipas seniores 2ª divisão.
Campeão Nacional de equipas sub/16 Masculinos.
Vice-Campeão Nacional de equipas sub/18 Femininos.
2011 – Campeão Regional de equipas sub/12 Mistas, sub/16 Maculinos, sub/18 Fem. e sub/18 Mas.
2012 – Campeão Regional de equipas sub/12 Mistas.
Campeão Regional e Nacional de equipas sub/14 Mas. e Fem.
Campeão Regional e Vice-Campeão Nacional de equipas sub/16 Fem.
Campeão Regional de equipas sub/16 e sub/18 Masculinos.
Vice-Campeão Nacional de equipas da 1ª divisão.


Palmarés individuais

Também a nível individual alguns dos seus atletas conseguiram nos anos mais recentes, vitórias muito honrosas nos Campeonatos da Associação de Ténis de Leiria e em provas da Federação Portuguesa de Ténis, tais como:

2000 – Luisa Gouveia, Campeã Nacional de Veteranos, individual e pares, vencedora de diversos torneios de Prize Money.
Inês Santos, Vice-Campeã Nacional de Cadetes em Pares , finalista dos Master’s TMN sub/16 em Espinho , Vice-Campeã de pares sub/16. Pela F.P.T. foi seleccionada para representar Portugal em diversos torneios internacionais.
Hugo Anão, finalista dos Master’s TMN sub/16 em Espinho .

2007 – Hugo Anão e Filipe Rebelo Campeões Nacionais de pares masculinos.
2007 – Frederico Silva, Campeão Nacional em Singulares e Pares sub/12;
Participou em diversos torneios internacionais e pela F.P.T., foi convocado para representar a Selecção Nacional no Campeonato Europeu de Equipas em Itália.
2008 – Frederico Silva, Campeão em pares masculinos sub/14.
Representou Portugal nos Campeonatos da Europa de equipas sub/14.
2009 – Frederico Silva, Campeão Nacional sub/14 singulares e pares e Campeão Europeu sub/14 em pares.
Por Portugal, Vice-Campeão da Europa e do Mundo em equipas sub/14.
2010 – Tiago Cação, Campeão Nacional sub/12 Masculinos e participou em diversos torneios internacionais.
Artur Completo, vencedor do torneio internacional sub/16 na Beloura.
Frederico Silva, Campeão Nacional sub/16 singulares e pares e, Campeão Nacional de
seniores em pares masculinos.
Campeão em pares em pares no Orange Ball em Miami.
Campeão Europeu em pares sub/16.
Campeão torneio ITF sub/18 na Turquia.
Vice-Campeão do torneio (Championat du Monde em Paris) sub/15 em pares.
2011 – Tiago Cação, Campeão Nacional sub/14.
Artur Completo, Vice-Campeão Nacional em pares sub/18.
Frederico Silva – diversos torneios no estrangeiro, individualmente e pela F.P.T.
2012 – Frederico Silva, participa entre outros, nos seguintes torneios Internacionais:
Roland Garros, Wimbledon.
Campeão do US Open de juniores em pares masculinos.
Beatriz Bento – Campeã individual do torneio Internacional da Beloura sub/14.
Beatriz Bento e Inês Mesquita, Campeãs em pares no torneio da Beloura sub/14 e,
também Campeãs no torneio Internacional do Parque Nascente – Porto sub/16.
Tiago Cação, Campeão Nacional sub/14 e vencedor dos torneios Internacionais sub/14
em Vilamoura e nos Açores e, sub/16 na Beloura.